23 de setembro de 2014

Eleições 2014: Militar, encontre um candidato pra chamar de seu e VOTE!

Publicado originalmente em 1º de setembro 
(relação atualizada em 21 de setembro)

EUA atacam Exército Islâmico na Sìria

EUA iniciam ataques aéreos contra ISIS na Síria
Caças, bombardeiros e mísseis Tomahawk são utilizados contra base em Raqqa
Os Estados Unidos realizaram seus primeiros ataques aéreos em posições ocupadas pelo ISIS, milícia autointitulada Estado Islâmico. De acordo com a rede de TV CNN, os disparos da Força Aérea Americana foram direcionados contra o quartel do grupo paramilitar em Raqqa, na Síria. O bombardeio começou nas primeiras horas da terça-feira (horário local).
Segundo informações do Pentágono, EUA e nações parceiras começaram os ataques utilizando jatos, bombardeiros e mísseis Tomahawk. No dia 10 de setembro, o presidente Barack Obama anunciou a operação militar no Oriente Médio, por conta do avanço do ISIS no Iraque e na Síria.
Obama se reunirá nesta semana com o primeiro-ministro iraquiano, Haidar al-Abadi, e com o presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi, durante a Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque. Com Abadi, o presidente falará sobre o apoio militar americano a Bagdá em sua luta contra os jihadistas.
Correio do Povo/montedo.com

#tamojuntomichel: Exército em campanha para doação de medula óssea.



Vídeo: TV Vanguarda


Leia também:
Em guerra contra a leucemia, Capitão do Exército necessita de transplante de medula. O doador pode ser você!

Cabo do Exército é preso por suspeita de roubo em Goiás

Cabo do Exército e comparsas são presos suspeitos de roubo em GO
Eles foram detidos após roubar três adolescentes em frente a um shopping.
Polícia apreendeu com o trio camisetas, tênis, celulares, bonés e sapatos.
Reprodução TV Anhanguera

Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera
Um cabo do Exército Brasileiro, de 19 anos, foi preso suspeito de roubar três adolescentes na noite de domingo (21), em frente a um shopping do Setor Bueno, em Goiânia. Dois comparsas dele também foram detidos, sendo um de 18 anos e outro de 17. A Polícia Militar apreendeu com os suspeitos celulares, tênis, camisetas, sapatos femininos e bonés.
Os policiais encaminharam o trio para o 20º Distrito Policial. O delegado responsável pelo caso, Roni Campos, autuou em flagrante os jovens por roubo com emprego de arma. Segundo a polícia, o cabo integra o Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro e deve responder também a processo na Justiça Militar. "Ele pode vir a responder pela Justiça Militar Federal em razão de ele ser um militar do Exército", explicou o delegado.
Agentes do 20º DP informaram ao G1 que, na madrugada desta segunda-feira (27), o cabo foi recolhido ao quartel do Exército, em Goiânia. Já o rapaz de 18 anos está detido em uma das celas da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). O menor foi levado para a Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai).
O pai de uma das vítimas do trio, que preferiu não se identificar, relatou que o filho, de 17 anos, ficou muito assustado e indignado ao saber que o ladrão se tratava de um militar. “Por coincidência ou não, ele vai se alistar agora no Exército. Ele completou 17 anos, está doidinho para ser pego no Exército e ele perguntou pra mim: ‘Pai e aí? Eu me alisto ainda no Exército?’ Ai como é que faz?”, lamentou o homem.
Militar é preso com produtos roubados em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Militar e comparsas são presos após roubo em Goiânia (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
G1/montedo.com

Roraima: Polícia Civil indicia PM por morte de soldado do Exército

Delegacia concluiu investigações e soldado da PM foi indiciado pelo crime.
Felipe Lima morreu após ser atingido por tiro durante ação da Polícia Militar.

Do G1 RR
Felipe Lima era militar do exército e pertencia ao 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva (Foto: Arquivo Pessoal)
Felipe Lima era militar do exército e
pertencia ao 10º Grupo de Artilharia
de Campanha de Selva
(Foto: Arquivo Pessoal)
A Delegacia Geral de Homicídio (DGH) concluiu as investigações sobre a morte do militar do Exército de Roraima Felipe Darley Lima de Lima, de 19 anos, em 6 de junho deste ano, durante uma ação da Polícia Militar (PM), em Boa Vista. Um soldado da PM foi indiciado pelo crime. De acordo com a investigação, o policial teria atingido o militar com um tiro no pescoço, enquanto ele "pilotava uma moto de forma perigosa".
Segundo o delegado titular da DGH, Juraci Rocha, as investigações apontam que uma equipe da Polícia Militar realizava uma fiscalização na zona Norte da capital, quando recebeu a informação de que dois motoqueiros, um deles com arma de fogo, estavam em um posto de combustível na Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes.
"Diante da informação, a equipe foi verificar a possível ocorrência e ao chegar ao local viram os dois rapazes em duas motocicletas com as características repassadas", disse o delegado, acrescentando que, conforme a investigação, ao avistarem os policiais, os dois motoqueiros fugiram tomando destinos diferentes.
Um deles, segundo a investigação, teria saído pela Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, sentido Parque Anauá e retornado na contramão para a Eduardo Gomes. Além disso, este motociclista teria feito várias manobras, até entrar no bairro São Francisco e seguir por outras ruas de Boa Vista, fazendo direção perigosa, até uma segunda viatura da PM reforçar a ação.
Conforme o delegado, um dos ocupantes da segunda viatura, o soldado da PM que não teve a identidade revelada, ao ver o motoqueiro vindo em sua direção, desembarcou do veículo e fez gestos de parada que, segundo ele, foi desobedecido, momento em que efetuou o disparo, atingindo-o no pescoço, desequilibrando-o e o derrubando do veículo.
Leia também:
Roraima: soldado do Exército morre após levar tiro em ação da PM
Para o delegado, o soldado da PM, alegou que atirou visando o pneu da motocicleta. No mesmo dia do fato, alguns componentes das equipes foram ouvidos no Plantão Policial Genérico, pelo delegado Jorge Wilton Nepomuceno. Ocasião em que todas as armas das duas equipes da PM foram apreendidas, inclusive as longas e as munições, para se fazer a perícia.
Depois de ouvir todos os policiais envolvidos, o delegado decidiu pelo indiciamento do soldado por homicídio qualificado, entendendo que a vítima não teve chance de defesa no momento do ato. "Felipe Darley tinha pego a motocicleta emprestada do padrasto e não tinha habilitação. Quando viu a viatura se assustou e correu para evitar ser abordado, pois não tinha habilitação", disse
O delegado também entendeu que, observando a conduta individualizada dos demais policiais, não encontrou nenhum elemento para o indiciamento deles. "As investigações na DGH se encerram e o procedimento foi encaminhado para análise do Judiciário", informou.

Da investigação
Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o comandante da Polícia Militar de Roraima disse que foram instaurados três procedimentos. Um pela Polícia Civil, outro pelo Exército e o terceiro pela própria Polícia Militar. A Corregedoria Geral da Polícia Militar instaurou Inquérito Policial Militar, que já concluído e identificou o policial que atirou. Segundo ele, o soldado está afastado do serviço operacional pela corporação.
G1/montedo.com

22 de setembro de 2014

Invasão provoca tiroteio em quartel do Exército no MT

Bandido invade quartel do 44º Batalhão do Exército e sentinelas disparam

Bandido invade quartel do 44º Batalhão do Exército e sentinelas disparam
Foto: Reprodução/Internet
Cuiabá (MT) - O Exército Brasileiro irá investigar a invasão a sede do 44º Batalhão de Infantaria Motorizada instalado no bairro Goiabeiras, em Cuiabá, na noite de domingo (21). Disparos foram efetuados dentro da unidade, por volta das 19h, para evitar que um suposto assalto fosse consumado.
Policiais militares do 10º Batalhão e também da Ronda Ostensiva Tático Metropolitana (ROTAM) foram acionados para ajudar na ocorrência, mas permaneceram do lado de fora do quartel. Havia a informação inicial de que dois criminosos invadiram o local para roubar armamento, o que não se confirmou.
De acordo com informações do capitão Rodrigo Pereira Pinto, oficial de comunicação social da 13º Brigada, foram efetuados disparos por dois sentinelas que estavam na guarda da unidade.
“A investigação será feita pelo Exército e para saber o que aconteceu. Não é comum que uma pessoa tente adentrar o espaço militar”, explica.
Segundo o oficial, um homem pulou o muro da unidade e mesmo recebendo determinação para que parasse, não atendeu ao pedido. Disparos foram efetuados. Na sequência, ele recebeu um novo alerta e outro sentinela efetuou novos disparos. Ainda segundo o oficial, o criminoso se embrenhou no meio da área verde dentro do Batalhão e conseguiu escapar. “O simples ato já configura um crime previsto no Código Penal Militar”,
OLHARDIRETO/montedo.com

Forças Armadas ganham apoio de fuzileiros em ataque de facção na Maré

PM prende um suspeito de ofensiva. Tiroteio começou após invasão da ADA

ALESSANDRA HORTO , LEANDRO EIRÓ E VANIA CUNHA
Ao menos duas viaturas e seis blindados monitoraram a região durante o dia. Moradores contam que vans com bandidos armados estacionaram na Maré e fizeram disparos a esmo
Foto:  Alessandro Costa / Agência O Dia

Rio - Ocupado há quase seis meses por tropas do Exército e da Marinha no regime de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), o Complexo da Maré foi invadido na manhã de [sábado] por bandidos da facção Amigos dos Amigos (ADA), que saíram da comunidade Parque Alegria, no Caju. Segundo testemunhas, os traficantes chegaram em quatro vans, fortemente armados, fazendo arruaça e atirando para o alto.
Criminosos do local resistiram e diversos confrontos foram travados ao longo do dia. O conjunto de favelas teve a segurança reforçada por seis tanques dos fuzileiros navais. No fim da tarde, um dos suspeitos pela invasão foi preso na Avenida Brasil.
Foram pelo menos três tiroteios pesados: no fim da madrugada de sábado, pouco antes do meio-dia e à tarde. Houve pânico, e moradores correram para buscar abrigo em estabelecimentos abertos e dentro de suas casas. Segundo a polícia, o alvo principal dos invasores era o Conjunto Esperança, mas a Vila do João também registrou confrontos. Nessa última, a UPA ficou fechada por um período durante a tarde, segundo funcionários relataram no Whatsapp do DIA (98762-8248 ).
“O cenário é de praça de guerra. Está horrível trabalhar com esse clima”, contou um funcionário. Em uma escola municipal, professores, alunos e seus pais ficaram acuados. Apesar do intenso confronto, ninguém foi ferido. Até o fim da noite, a informação era de que os bandidos conseguiram invadir as duas comunidades e até picharam muros com a inscrição ADA. A Força de Pacificação do Exército cercou o complexo e pediu reforço à Polícia Militar no entorno.
Agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Caju capturaram no fim da tarde Paulo Castilho Correia Filho, o Playboy. Segundo PMs, ele estava fugindo do confronto na Maré foi levado para a 21ª DP (Bonsucesso). Investigadores contaram que Playboy é suspeito de ter participado da invasão na Maré. Contra ele, havia mandado de prisão decretado por investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, antes da implantação da UPP do Caju.
A maior parte das comunidades da Maré é dominada por quadrilhas da facção Terceiro Comando Puro (TCP), que ficaram enfraquecidas após a prisão de seu maior chefe, Marcelo Santos das Dores, o Menor P. O traficante foi capturado em março pela Polícia Federal, quando se escondia do cerco montado pela polícia na Maré em um apartamento de luxo em Jacarepaguá. Antes de os bandidos do TCP tomarem conta das favelas, em 2008, a Maré era dominado pela ADA, mesma quadrilha do Caju. Desde então, os criminosos vivem em guerra pelo controle da venda de drogas.

Exército fez patrulhas e revistas durante todo o dia
Desde a ocupação do Exército, em 5 de abril, bandidos da facção TCP faziam disparos quase diariamente paar intimidar os militares, e chegaram até a fazer vítimas dos tiros. Mas ontem o clima de tensão chegou ao ápice, com a guerra de bandidos rivais em plena luz do dia.
Por medida de segurança, as tropas federais chegaram a interromper o trânsito em uma das pistas da Avenida Brasil, no sentido Zona Oeste, e a Linha Vermelha durante o confronto. Em cada uma das ruas de acesso à Vila do João, fuzileiros navais reforçaram o patrulhamento. O objetivo era localizar os criminosos e impedir que novos disparos ocorressem. A maioria dos moradores que passava, tanto a pé como em automóveis, era revistada ao entrar e sair do local.
Pelo menos duas viaturas e seis blindados fizeram rondas pela região durante todo o dia. Em nota, a assessoria da Força de Pacificação do Exército na Maré informou que a situação estava sob controle no fim da tarde de ontem, mas que os tiroteios foram intensos, principalmente na Vila do João, próximo à Linha Amarela.
Moradores do complexo, a maioria com medo de se identificar, comentaram sobre a invasão. Uma mulher disse que homens armados desceram das vans e fizeram disparos no meio da rua, sem se incomodar com quem passava. De acordo com um morador, o grupo teria acessado o local por uma entrada por baixo da Linha Vermelha. Outros tiveram que atrasar a hora de sair para o trabalho ou não puderam entrar em casa por conta do tiroteio.

Tiros levam pânico a festa em escola
Os tiros interromperam a Festa da Primavera que acontecia na Escola Municipal Teotônio Vilela. Segundo testemunhas, parentes dos estudantes e professores estavam na unidade desde cedo, fazendo os últimos preparativos para o evento, quando o tiroteio começou. Havia muita gente no local, e todos ficaram acuados por pelo menos quatro horas dentro da unidade, com medo dos disparos. Uma funcionária contou que as pessoas correram para as salas de aula e se jogaram no chão para se proteger.
“Foi um horror. Estávamos todos em clima familiar, planejamos a festa, montamos as barraquinhas e infelizmente nossas crianças tiveram que passar por esse trauma”, contou um dos funcionários. Uma foto publicada na rede social Facebook mostra várias pessoas sentadas no chão e em cadeiras do que seria a sala dos professores da escola, supostamente durante o tiroteio. Por volta das 15h, todos conseguiram deixar o local sob escolta policial.

Confrontos no Alemão e na Penha
O fim de semana também foi de tensão nos complexos da Penha e do Alemão. Um PM ainda não identificado foi baleado ontem, após uma troca de tiros com bandidos da comunidade Parque Proletário, na Penha.
De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o militar da UPP Parque Proletário realizava patrulhamento de rotina com os companheiros, quando foram atacados por criminosos na localidade conhecida como Rua 29. O agente foi baleado na virilha e encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Ainda segundo a CPP, o policial passa bem. Buscas foram feitas na região, mas ninguém foi capturado. Sexta-feira, um suspeito morreu em confronto com PMs da UPP Nova Brasília, no Alemão. Há uma semana, o comandante desta unidade, capitão Uanderson Manoel da Silva, foi morto por bandidos com dois tiros no peito.

Playboy não resiste à prisão
O traficante Playboy caiu no cerco montado por policiais militares da UPP do Caju na Avenida Brasil, na altura da comunidade Vila do João. Segundo a comandante da unidade, major Alessandra Carvalhaes, sempre que há conflitos próximos, os agentes fazem uma patrulhamento preventivo para evitar que criminosos fujam para dentro do Caju.
O acusado estava em uma moto, seguido por outro homem suspeito em mais uma motocicleta. Os PMs reconheceram o criminoso e conseguiram cercá-lo. Playboy estava desarmado e não resistiu à prisão. Ele foi transferido no fim da noite de ontem para uma unidade da Polinter. O outro homem também foi detido e levado para a 21ª DP (Bonsucesso). No entanto, por não estar em situação de flagrante nem ter mandado de prisão pendente, o homem foi liberado após prestar depoimento.
O Dia/montedo.com

Arquivo do blog